Visto Deve Ser Isento Para Americanos, Japoneses, Australianos e Canadenses

Visto Deve Ser Isento Para Americanos, Japoneses, Australianos e Canadenses

Ainda não há dados disponíveis sobre 2018, mas em 2017 apenas a cidade de Amsterdã na Holanda recebeu 6.5 milhões de turistas e a Tailândia mais de 35 milhões, só para ficarmos em dois exemplos. Também em 2017, o Brasil inteiro recebeu somente 6.5 milhões de turistas estrangeiros. Como se vê nestes números, temos muito o que melhorar no que diz respeito a atrair mais visitantes.

Embora seja um tópico um tanto quanto polêmico que mexe com nossos “brios”, o governo federal está planejando eliminar a necessidade de visto para americanos visitarem o Brasil. E quando dizemos que mexe com nossos “brios”, nos referimos ao fato de que os Estados Unidos continuarão exigindo visto dos brasileiros que querem visitar a terra do Mickey Mouse.

Aparentemente, a medida se estenderá também aos japoneses, australianos e canadenses. Todos sabemos do grande potencial desses quatro países quanto à geração de turistas internacionais e levando isso em conta o governo federal espera dar um grande impulso no número de estrangeiros que visitam o Brasil.

Dos quatro países citados um deles, sem sombra de dúvida, salta aos olhos de todos aqueles que vivenciam o turismo Brasileiro – os Estados Unidos. Devido a sua grande população, os Estados Unidos teriam a capacidade de gerar um expressivo incremento no número de visitantes ao Brasil que hoje está em torno de 1.2 milhões por ano.

Além de gerar mais empregos e mover a economia, o incremento do número de visitantes possivelmente ampliaria o número de voos entre o Brasil e os Estados Unidos. Além disso, poderia criar novas ligações e talvez trazer de volta algumas que já existiram e foram terminadas, como a rota Nova York – Rio de Janeiro, por exemplo. Paralelo a isso, gigantes da hotelaria, aluguel de carros e parques poderiam mudar sua visão sobre o Brasil, elevando o seu interesse e talvez investir mais por aqui.

Sob o ponto de vista do turismo, isso nos parece ser uma decisão acertada, mesmo que não traga a devida reciprocidade em um primeiro momento. Imaginamos que o Brasil seria beneficiado com a criação de milhares de empregos no turismo, principalmente no Nordeste que tem forte apelo aos olhos dos estrangeiros devido às belíssimas praias.

Em 2008 no meio da crise enfrentada pelo estouro da bolha imobiliária nos Estados Unidos, o ex-Presidente Barack Obama foi a Disney convidar os latino-americanos a visitar (e comprar) a Flórida e tudo indica que funcionou. Desde então os preços dos imóveis se recuperaram mais de 50% (em algumas regiões mais de 100%) e milhares de empregos foram criados.

Conclusão

Obama foi claro na sua visão – os Estados Unidos precisavam de dinheiro naquele momento e o turismo foi a chave. O Brasil, mais que nunca, precisa de dinheiro para se recuperar e voltar a crescer e o turismo pode ser um dos pilares desse crescimento. E talvez a isenção de vistos aos americanos e aos outros três países ajudem a trazer cada vez mais turistas (e dinheiro) para o nosso país.

É claro que a isenção de vistos por si só não resolve o problema. É preciso também olhar para segurança pública, capacitação da mão de obra e insfraestrutura no que diz respeito a aeroportos e vias de acesso aos mesmos. Mas isso é conversa para um outro artigo!