Os Programas de Milhagens Brasileiros no Primeiro Semestre – Seguindo Ladeira Abaixo?

Os Programas de Milhagens Brasileiros no Primeiro Semestre - Seguindo Ladeira Abaixo?

Hoje chegamos na metade do ano, o que é um bom momento para olharmos o comportamento dos programas de fidelidade brasileiros até aqui. Infelizmente, não temos muito o que comemorar e parece que continuamos seguindo ladeira a baixo numa aparente competição para ver quem é o pior!

Mercado de Pontos – Facilidades para se Juntar Pontos

Comecemos pela indústria de pontos e milhas que continua crescendo a passos largos. E talvez seja exatamente por isso que os programas de fidelidade fazem o que bem entendem.

O brasileiro descobriu que pode conseguir grandes quantias de pontos ou milhas sem precisar botar os pés num avião, como era o caso há alguns anos atrás. Com um pouco de disciplina e uma boa estratégia, é possível ganhar muitos pontos através do uso do cartão de crédito e compras do dia a dia.

Além disso, todos os principais programas de fidelidade do país – Livelo, Multiplus, Smiles, TudoAzul e Miles&Go – têm seus clubes de pontos ondes os clientes pagam uma mensalidade e recebem uma quantia de pontos regularmente.

O Outro Lado da História – Dificuldades em Usar os Pontos

Se por um lado está cada vez mais fácil juntar pontos, por outro, está cada vez mais difícil usar esses pontos de maneira vantajosa. Em muitos casos, emitir um bilhete prêmio a um valor justo se tornou um desafio.

Os Programas de Milhagens Brasileiros no Primeiro Semestre - Seguindo Ladeira Abaixo?Infelizmente, os menos experientes nesse jogo são os que mais sofrem. Com saldos de pontos bem generosos, acabam fazendo emissões sem pensar e no fim das contas pagando mais caro do que se tivessem comprado um bilhete direto com a empresa aérea.

Nesse ponto você deve estar se perguntando de onde vem as dificuldades, certo? Elas são criadas por aqueles mesmos programas que eu falei acima que facilitam ao máximo o acúmulo de pontos por parte de seus clientes. Parece controverso, não? Mas é exatamente isso que acontece.

Nos meus dias de frustração eu chego a achar que é puro mau caratismo onde a desfaçatez reina solta. E a falta de transparência então? Bem, essa chega a ser um verdadeiro caso de polícia!

Livelo e Multiplus

A situação para os milheiros anda tão complicada que chegamos a ficar felizes quando um programa passa seis meses sem fazer nenhuma “melhoria”! Nesse quesito, tivemos um primeiro semestre bem tranquilo com a Livelo e a Multiplus.

E eu espero que o segundo semestre seja assim também!

Smiles

Também teve um primeiro semestre sem grandes alterações. Único fato que veio à tona é que o programa parece estar controlando a disponibilidade de assentos em classe executiva para viagens começando no Brasil.

E há indícios de que teremos uma desvalorização das milhas em algum momento do segundo semestre. A Smiles já notificou o mercado que a Gol pretende aumentar o valor das passagens. Até agora nenhum comunicado foi feito aos clientes.

Meu lado sarcástico diz que o modus operandi da falta de transparência será aplicado e só seremos notificados dias antes dos reajustes.Os Programas de Milhagens Brasileiros no Primeiro Semestre - Seguindo Ladeira Abaixo?

Programa Amigo

Assim como a empresa mãe, esse morreu! Quem ainda tinha milhas lá muito provavelmente pode considera-las perdidas.

Miles&Go

O Miles&Go da TAP, maior empresa aérea estrangeira no Brasil por número de voos, está disputando o troféu abacaxi com o TudoAzul –  worry not, já já falo dele!

Desde que a Avianca Brasil entrou em recuperação judicial, a TAP permitiu por meses a fio que os clientes do Programa Amigo emitissem bilhetes prêmio para voar em seus aviões. E do nada, no começo de junho a empresa anunciou que não iria mais aceitar tais passagens.

Nem preciso dizer que a consideração e respeito aos consumidores foram colocados no lixo! Chego até a pensar que foi um caso de puro mau caratismo. Vamos tentar, se colar colou!

Mas graças à mobilização de vários blogs independentes, entre eles o Milhas e Destinos da Beatriz e o princípio do que seria uma enxurrada de recursos judiciais, a empresa voltou atrás em sua decisão.

Os Programas de Milhagens Brasileiros no Primeiro Semestre - Seguindo Ladeira Abaixo?Continuando com o Miles&Go, eles acabaram de implementar uma tabela dinâmica para emissão de passagens prêmio em seus aviões. Segundo eles, esse novo processo resultará em mais assentos para serem emitidos com pontos, inclusive a valores menores que beneficiarão quem planeja suas viagens com bastante antecedência.

Ainda é cedo para dizer se essas mudanças serão realmente benéficas para os consumidores. Temos que esperar alguns meses para ver se as pessoas estão efetivamente conseguindo emitir bilhetes com menos milhas. E aqui eles merecem uma notinha positiva – publicaram os valores mínimos e máximos da tabela!

Agora uma coisa é certa, a transparência foi zero. Uma mudança como essa, ainda que aparentemente positiva, precisa ser informada com uns três meses de antecedência.

TudoAzul

O troféu abacaxi do semestre vai para o TudoAzul. Primeiro foi a trapalhada com a nova parceria com o Le Club da Accor. Parece que não pensaram nos detalhes e estavam realmente oferecendo um benefício aos clientes. Chocante, não?

Assim que se deram conta, mudaram as regras do jogo apenas alguns dias após o lançamento da parceira e sem avisar ninguém. Tivemos relatos de pessoas que tiveram suas transferências de pontos rejeitadas sem nenhuma explicação. Transparência zero!

E por último vem a mudança na tabela de emissão de passagens com as empresas parceiras. Veja esse artigo que o Paulo do Passagens Top publicou. Basicamente não há mais limites quanto ao número de assentos disponíveis – parece ser positivo, certo? Mas as coisas não são bem assim!

Os Programas de Milhagens Brasileiros no Primeiro Semestre - Seguindo Ladeira Abaixo?O TudoAzul agora atribui um valor monetário aos seus pontos e baseado no preço de um bilhete para a classe e data do seu voo naquele momento na empresa que você quer, o sistema te sugere quantos pontos serão necessários para a emissão do teu bilhete prêmio. Até parece razoável, mas não é.

Infelizmente, como o Paulo mostrou no seu artigo, o valor atribuído pelo TudoAzul aos seus pontos está subfaturado e com isso você corre o risco de pagar mais do que se comprasse um bilhete diretamente com a empresa que você planeja voar. Em suma, ficou ainda mais caro emitir uma passagem prêmio com pontos TudoAzul.

E para finalizar eu volto a bater na tecla da falta de transparência. O programa não emitiu qualquer comunicado aos seus clientes informando sobre as mudanças antes que elas fossem implementadas.

Ainda vou um pouco mais além. No comunicado que eu recebi, a tom da mensagem é que a mudança era positiva para o cliente e não explicaram como as coisas iriam efetivamente funcionar. Na minha opinião, uma falta de respeito com a inteligência das pessoas em tentar vender algo negativo como bom. Sejam honestos e falem a verdade!

Conclusão

Eu sei que eu tracei um cenário bem negativo e nesse momento você deve estar se perguntando, será que vale a pena continuar acumulando pontos?

Minha resposta é sim! Ainda vale a pena. Mas você tem que ser esperto(a), manter-se informado(a) e tirar o máximo possível de vantagem das promoções que esses programas fazem de tempos em tempos para emissões com pontos reduzidos. E nunca deixe de comparar o custo de uma emissão de passagem com pontos com o valor de um bilhete comprado diretamente com a empresa área de sua preferência.

Os Programas de Milhagens Brasileiros no Primeiro Semestre - Seguindo Ladeira Abaixo?Já para aqueles por trás dos programas de pontos, eu peço três coisas: transparência, honestidade e estabilidade. Sejam transparentes e informem aos seus clientes sobre qualquer alteração com a devida antecedência. Deem às pessoas tempo suficiente para fazer suas emissões de passagens, caso queiram, de acordo com as regras vigentes.

Tão importante quanto a transparência é a honestidade. Não subestimem a inteligência de seus clientes tentando vender uma alteração como boa quando em realidade a mesma pode não ser. Todos entendem que qualquer negócio tem que mudar suas regras para manter-se competitivo, por exemplo. Pior do que digerir uma má notícia, é se dar conta que estão tentando te enganar.

E por último a estabilidade. Em muitos casos, quem acumula milhas trabalha com um horizonte de doze meses para juntar pontos e emitir suas passagens de férias. Se o programa muda as regras a todo momento, nós clientes ficamos com a impressão de que nunca chegaremos lá.

Clique aqui para ler mais sobre milhas e pontos.