LATAM e GOL Entram na Briga Pelos Ativos da Avianca Brasil – Mas Por que?

LATAM e GOL Entram na Briga Pelos Ativos da Avianca Brasil - Mas Por que?

A AZUL havia sido a primeira a anunciar oficialmente seu interesse pela Avianca Brasil e por suas unidades produtivas mais importantes (leia-se os slots em Congonhas). Todavia, o caso ganhou mais relevância quando a LATAM comunicou o Mercado que também teria interesse pelos ativos e aeronaves da Avianca. E ontem, a GOL seguiu o mesmo caminho.

Os objetivos da LATAM e da GOL no entanto, nada mais são do que impedir que a AZUL tenha acesso a uma quantidade significativa de slots em Congonhas e Guarulhos. Mas, o que isso representa de fato para a aviação comercial brasileira? Quais os efeitos para nós, passageiros?

Em primeiro lugar, isso significa que as duas grandes e poderosas operadoras dos principais aeroportos do país (Guarulhos e Congonhas) não pretendem assistir passivamente a entrada da AZUL em espaços e mercados importantes. O principal exemplo é a ponte aérea Rio-São Paulo que liga o Santos Dumont a Congonhas.

Mas, o fato mais relevante é que a decisão deve deixar de ser algo puramente financeiro a favor da Avianca. Certamente, a partir de agora tudo passará a ser uma decisão que não deve terminar nas pontes de embarque, mas nas cortes de justiça. Além disso, credores que antes visavam apenas receber contas atrasadas, já devem estar discutindo como lucrar com essa disputa.

LATAM e GOL Entram na Briga Pelos Ativos da Avianca Brasil - Mas Por que?

Avianca Brasil

Provavelmente, a Avianca Brasil e seus problemas financeiros passarão a ter importância secundária nesse processo. O menor player, nesse caso a AZUL, vai certamente tentar evitar uma concentração ainda maior da LATAM e GOL nos dois aeroportos de São Paulo.

Além disso, podemos esperar a intervenção do órgão federal de defesa da concorrência (CADE) tentando evitar que GOL e LATAM se tornem ainda mais relevantes em Congonhas e Guarulhos. Só esperamos que isso não se arraste por meses, como costuma ocorrer em análises do CADE.

O Que Está Na Mesa

Liderança em Congonhas

Se a LATAM for bem sucedida em sua aposta, ela ganha preciosos slots em Congonhas e poderá alavancar novos serviços, tirando proveito inclusive da recente medida do governo de São Paulo de reduzir o ICMS por conta de novos voos. Ao mesmo tempo, a LATAM consegue obter valiosos horários em Guarulhos, aeroporto que já começa a apresentar sinais de esgotamento em determinadas partes do dia.

Liderança em Guarulhos

Se por outro lado a GOL avançar em sua proposta, além de consolidar a sua posição dominante em Congonhas, ela conseguirá obter os slots em Guarulhos que lhe permitiriam incomodar a LATAM e oferecer mais serviços internacionais, por exemplo. Isso, a despeito de um problema comum para ela e a LATAM – a Avianca opera no Terminal 1.

Um Novo Player na Ponte Aérea

Se a AZUL não conseguir que sua proposta seja a vencedora, a ponte aérea perde a chance de manter um terceiro player já que dificilmente GOL e LATAM irão ampliar serviços. Rotas também já operadas com diversidade de horários como Guarulhos-Belo Horizonte e Congonhas-Brasilia, provavelmente não terão nenhum incremento de horários, o que significaria uma redução de oferta levando a aumento de preços.

Conclusão

LATAM e GOL certamente tem mais interesse em proteger suas posições em Congonhas e Guarulhos da entrada da AZUL, do que efetivamente oferecerem melhores alternativas aos passageiros. O mercado brasileiro vem sofrendo com oferta excessiva há mais de três anos e a situação da Avianca Brasil tráz, para AZUL, LATAM e GOL, a expectativa de que cortes na oferta devam ocorrer.

O que, aliás, já está acontecendo com a saída da Avianca do Galeão, Belém e Juazeiro do Norte. Isso seguramente beneficiará a saúde financeira de todas as empresas. Já o preço das passagens …

LATAM e GOL Entram na Briga Pelos Ativos da Avianca Brasil - Mas Por que?

Azul Linhas Aéreas

Claro que essa saúde financeira pode resultar em tarifas mais altas e menos competição. E nesse cenário, a aquisição por parte da AZUL, a empresa com menos sobreposição de ativos e operações, tenderia a ser a melhor saída para o consumidor, mas será que essa vai ser a opção do mercado?  A LATAM e a GOL devem estar preparadas para pagar caro para que a Avianca não fique nas mãos da AZUL.

E ainda tem o programa de fidelização Amigo, que a Beatriz do Milhas e Destinos comentou aqui. Qual será o seu fim? No momento …. ninguém sabe! Se tudo não se tornar uma interminável briga jurídica, em breve vamos ver quem irá assumir os gates de Congonhas e Guarulhos!