Azul Compra Parte Saudável da Avianca Brasil

Avianca Brasil – A História se Repete

Depois da Azul enviar comunicado ao mercado que está negociando a compra de uma nova empresa que seria criada com parte dos ativos da Avianca Brasil, mais detalhes sobre a transação começaram a aparecer. Basicamente, a Azul estaria comprando a parte saudável da e todas as dívidas seriam deixadas com a Avianca Brasil.

A proposta feita pela Azul Linhas Aéreas foca na compra de espaços, principalmente no Aeroporto de Congonhas e na operação da Avianca na ponte aérea Rio-São Paulo, além de mais slots no aeroporto central do Rio de Janeiro, o Santos Dumont. Ao que tudo indica, o grande interesse da Azul foi mesmo nestes dois aeroportos. Além disso, outros 30 slots devem ser operados no Aeroporto de Guarulhos, o que é menos da metade do que a Avianca opera hoje.

Para que a aquisição seja possível, a Azul na verdade pretende comprar o certificado de operação da Avianca e assumir o leasing de 30 aeronaves Airbus A320. Porém, os contratos de leasing (aluguel) de todas essas aeronaves estarão sujeitos a renegociações. A Azul também irá adquirir alguns equipamentos para a operação bem como a recontratação dos profissionais necessários para a operação.

Trata-se de uma solução que ainda depende da autorização das autoridades reguladoras do setor aéreo brasileiro (ANAC). A transação deverá passar também pelo crivo dos reguladores de defesa da concorrência (CADE) e ainda pelo judiciário, uma vez que a Avianca Brasil se encontra em recuperação judicial e irá depender também, da concordância de seus credores. Ou seja, a conclusão desse processo dependerá de muita negociação e boa vontade política.Azul Compra Parte Saudável da Avianca Brasil

O que não está claro até agora é o destino que será dado aos demais ativos da empresa. O que será feito com as operações da empresa nos outros aeroportos como Brasília, Salvador e Rio Galeão. Além disso, qual será o destino das demais aeronaves da frota da empresa? E quanto às dívidas atuais? Como a Avianca Brasil irá pagá-las?

De toda forma, torcemos para que essa mudança cause o menor impacto possível na vida dos funcionários e clientes da Avianca Brasil.