Clubes de Pontos – Vale a Pena Associar-se?

Clubes de Pontos – Vale a Pena Associar-se?

Como eu mostrei nesse artigo, os programas de milhagens têm constantemente dificultado a vida dos associados. O número de milhas ou pontos necessários para se emitir um bilhete prêmio vive aumentando (muitas vezes acima da inflação) e os benefícios das categorias elite vêm sendo reduzidos ao longo do tempo.

Porém, nunca foi tão fácil acumular pontos. As principais empresas aéreas brasileiras têm seus clubes de pontos ou milhas, assim como empresas independentes como o Livelo. Agora esses clubes valem a pena?

Neste artigo vou usar o Clube Livelo como exemplo e fazer uma análise simplificada do mesmo para lhes mostrar o que se deve levar em conta ao se associar a esses programas.

Algumas Considerações Iniciais

  • O associado do programa não acumula pontos em compras do dia a dia.
  • O associado não acumula pontos com viagens de avião, ou seja, não é passageiro frequente.
  • A análise assume que o associado irá usar os pontos exclusivamente para emitir passagens aéreas.
  • Os pontos serão sempre transferidos para diferentes programas de milhagens ou usados diretamente no Livelo na proporção mínima de 1:1.

Fiz estas considerações para facilitar a análise abaixo. Além disso, com as considerações acima eu estou levando em conta o pior cenário possível, pois se o associado acumula pontos com compras ou viagens aéreas isso ajuda a diluir o custo total dos pontos.

Clube Livelo – Modalidades

Como eu disse nas considerações, estou assumindo que os pontos serão trocados apenas por passagens aéreas e esses são os diferentes planos e preços atuais dos diferentes Clubles Livelo.

Modalidade Pontos Por Mês Custo Mensal Pontos por Ano Custo Anual Custo por Ponto
Clube 1.200 1.200 39.90 14.400 478,80 0,033
Clube 3.000 3.000 99.90 36.000 1.198,80 0,033
Clube 7.000 7.000 229.90 84.000 2.758,80 0,033
Clube 20.000 20.000 649.90 240.000 7.798,80 0,032

Tem mais um detalhe que é preciso levar em consideração. A quantidade de pontos necessários para se emitir um bilhete prêmio vai depender da proximidade da viagem e da ocupação do voo. Ou seja, se a emissão for para um voo cheio ou próximo da data da viagem, serão necessários mais pontos. Claro que a mesma regra se aplica para a compra da passagem diretamente com a empresa aérea.

Viagens Nacionais

Fiz algumas simulações para viagens dentro do Brasil para o mês de junho e em quase todos os casos a compra dos bilhetes diretamente com a empresa aérea teria o mesmo custo de uma emissão com pontos do Clube Livelo.

Viagens Internacionais

Para viagens para o exterior eu considerei dois dos destinos mais procurados pelos brasileiros, Paris e Buenos Aires. Os resultados ficaram bem parecidos com os das viagens nacionais. Sem bônus de transferência para qualquer programa de milhagem, uma emissão com pontos tem o custo muito próximo de uma compra diretamente no site das empresas aéreas.

Bônus e Promoções

Clubes de pontos como o Livelo passam a ser interessantes quando se consegue fazer uso de promoções de compra e/ou bônus de transferências de um programa para outro. Por exemplo, na Black Friday do ano passado o Livelo deu 40% de desconto na compra de pontos e havia ainda um bônus de 100% para a transferência dos pontos para o Smiles.

De acordo com essa promoção o associado conseguiria atingir 200.000 milhas no Smiles ao custo de R$2.100. Claro que para atingir esse valor a pessoa teria que ser membro do Clube Livelo e do Clube Smiles. Assumindo que a pessoa fosse membro dos dois clubes, na categoria mais barata, por exatos doze meses, teríamos:

Planos Custo (R$) Milhas / Pontos no Smiles
Compra com bônus de 40% 2.100 200.000
Clube Livelo 1.200 478,80 (anual) 28.800
Smiles Plano 1.000 504.00 (anual) 18.000
Total 3.083 246.800

Nesse exemplo em particular ao custo de R$3.083 a pessoa conseguiria quase 250.000 milhas que são suficientes para se emitir uma passagem para a Europa ou Estados Unidos em classe executiva.

Em suma, nos casos de promoções e bônus os clubes de milhas são imbatíveis. Porém, eu não recomendo a ninguém se associar a um clube de pontos contando com promoções para emitir bilhetes prêmios. Primeiro, as promoções podem não aparecer e segundo, pode ser que elas apareçam em um momento que você não tem como tirar proveito das mesmas.

Conclusão

De um modo geral, os programas de pontos são interessantes. Porém, é preciso ter flexibilidade para mudar os seus planos de viagem com pouca antecedência para conseguir tirar o maior proveito possível de qualquer promoção que venha a acorrer.

Além disso, o grande valor desses clubes aparece nos momentos onde se oferecem descontos nas compras dos pontos e/ou bônus de transferência como no exemplo que eu citei acima. Embora eu tenha feito a ressalva que não se deve contar com essas promoções, elas aparecem com certa frequência.

Clubes de Pontos – Vale a Pena Associar-se?

Classe Executiva do A380 da Singapore Airlines

O maior valor dos clubes de pontos está na emissão de passagens aéreas em classe executiva onde se fez uso de algum bônus ou promoção de transferência, pois nestes casos o custo dos pontos será sempre menor que a compra de um bilhete diretamente com a empresa aérea. É a maximização do benefício!

No entanto, tenha em mente que emitir uma passagem em classe executiva com pontos é bem mais difícil que emitir a mesma em classe econômica. A maior parte das empresas liberam no máximo dois assentos por voo na executiva para serem usados com milhas. Dependendo da ocupação do voo, mais assentos podem ser liberados perto da data da viagem, mas isso não é garantido.

Embora no exemplo acima eu tenha falado do Livelo, a lógica é a mesma para os diferentes programas que existem no mercado. Pesquise cada programa e saiba exatamente qual o proveito que você quer tirar deles antes de se associar

Bem, como essa era uma pergunta que sempre me faziam, eu espero que o texto acima pelo menos os ajude a considerar os clubes de pontos sob diferentes ângulos antes de se associar a um deles.